Por Kamile Araújo – Economista

A polêmica em torno do preço dos combustíveis movimentou, ou melhor, paralisou, os últimos 15 dias em todas as partes do Brasil.  As variações frequentes no preço da gasolina, do álcool e do diesel têm deixado o consumidor bastante insatisfeito e preocupado. Mas você sabe por que o preço da gasolina e dos derivados de petróleo variam tanto?

Bem, a primeira coisa a se compreender é que o petróleo é uma commodity, isto é, um produto de origem primária (mineral, vegetal ou agropecuária), comercializado em todo o mundo e com alto valor estratégico.

Por ser utilizada como matéria-prima, uma commodity gera impactos em vários setores da economia.

Assim, o seu preço passa a ser estipulado a partir da sua cotação nos mercados internacionais (dólar), que varia diariamente.

Isso ocorre em qualquer país cuja economia é aberta, e existem livre concorrência, importações e exportações. Os preços podem ser alterados em função de mudanças climáticas, conflitos políticos e econômicos, o que deixa o país vulnerável às movimentações do mercado internacional.

Os produtos derivados do petróleo, como a gasolina e o diesel vendido nas refinarias, consequentemente, acompanham essas mudanças de preço.

E por que pagamos cada vez mais caro? Então, segundo a Petrobras, o preço da gasolina na bomba é disposto da seguinte forma:

Como demonstrado na imagem, cerca de 45% do preço que pagamos pelo litro de gasolina é composto por tributos federais (CIDE, PIS, PASEP e COFINS) e um tributo estadual (e mais alto) que é o ICMS. Diante disso, os postos de abastecimento não tem outra alternativa, senão elevar o preço da gasolina. Todo esse ônus, é repassado ao consumidor, que precisa da gasolina e está disposto a pagar o preço que lhe impõem.