O presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi operado neste domingo (8) no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, para corrigir uma hérnia (saliência de tecido) surgida no local das intervenções anteriores. Esta é a quarta cirurgia à qual Bolsonaro se submete desde a facada sofrida por ele durante a campanha eleitoral de 2018. De acordo com o boletim médico, a cirurgia foi bem-sucedida e os médicos implantaram uma tela de polipropileno para correção da hérnia.

A cirurgia, que durou quase cinco horas, foi comandada pelo médico Antônio Luiz Macedo, que atendeu o presidente após o atentado ocorrido há um ano. A previsão inicial dos médicos era de três horas de cirurgia. Segundo os médicos, a cirurgia demorou mais que o previsto porque havia uma grande quantidade de aderência na alça intestinal que atravessou a hérnia. Foi preciso remover todas com cuidado pra não ferir o intestino. Ele não vai para UTI, irá direto para o quarto.

Sobre a cirurgia:

  • Foi implantada uma tela de reforço para correção da hérnia
  • A operação durou quase cinco horas
  • O quadro clínico de Bolsonaro é estável
  • Os médicos encontraram muita aderência no intestino do presidente
  • Bolsonaro ficará cinco dias afastado da Presidência
  • Nesta segunda, ele começa a fazer uma dieta líquida
  • As visitas devem ser evitadas
  • Ainda não há previsão de alta

Boletim médico de Jair Bolsonaro neste domingo (8) — Foto: Divulgação

 

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), e o senador Flávio Bolsonaro (PSL), filhos do presidente, também chegaram ao hospital pela manhã. O presidente foi acompanhado ainda pela primeira-dama Michelle e do outro filho, Carlos Bolsonaro.

Segundo o médico, os filhos e a primeira-dama assistiram à cirurgia de uma antessala anexa ao centro cirúrgico que tem visão para o local de operação. Eles podiam acompanhar pelo vidro ou por um monitor instalado na antessala.

Antes da cirurgia, o hospital informou que o médico elogiou a saúde de Bolsonaro, e acrescentou que a hérnia incisional estava localizada na parede abdominal, perto da cicatriz da facada, do lado direito, onde foram realizadas três laparotomias (aberturas na barriga).

Por Daniella Gemignani e Bárbara Muniz Vieira, GloboNews e G1 SP