Na tarde dessa quinta-feira, 05, o presidente da Câmara, Luciano Gomes (PL), reuniu-se com os desportistas Marcelo Moreira e Patrícia Mendes, representantes do movimento em favor do fechamento da Av. Olívia Flores aos domingos e feriados.

Patrícia explicou que o fechamento da via, entre o trecho da Justiça Eleitoral e a UESB, o equivalente a 2,5 km, começou em 2016. “Conquistamos esse direito ainda na gestão de Guilherme [Menezes]. De lá pra cá, as pessoas se acostumaram com o espaço de lazer e iam com suas famílias. Crianças andavam de velotrol, bicicleta, patins, tudo com segurança”, falou. Segundo ela, com a inauguração do Boulevard Shopping houve um recuo de 200 metros, o que não atrapalhou as pessoas de continuarem usando o espaço para lazer nos fins de semana.

Em meados de 2019, por decisão da Prefeitura Municipal o recuo aconteceu mais uma vez. A via foi fechada após a Av. J. Pedral, conhecida como Perimetral. Marcelo explicou ao presidente que hoje existe apenas um espaço de 1,5 km destinado à prática de esporte e atividades de lazer: “Esse espaço não é satisfatório pois trata-se de uma subida até o viaduto do anel viário, que não tem segurança adequada, seguida por uma longa descida. Os pais que vão com seus filhos andando de bicicleta, por exemplo, não ficam seguros de passar pelo local”. Ele contou ainda que foi feita uma medição e pouco mais de 300 carros trafegam na J. Pedral no período em que a Av. Olívia Flores é fechada. “Esse número é irrelevante para o número de carros que trafegam pela Luiz Eduardo no mesmo período”, detalhou. Moreira contou que moradores e empresários também foram consultados e todos apoiam o movimento.

O presidente Luciano ouviu o relato dos esportistas e se dispôs a mediar o pedido do movimento – a retomada do espaço de cerca de 2,5 km para prática esportiva e de lazer.

O presidente entrou em contato, ainda durante a reunião, com o secretário de Mobilidade Urbana, Jackson Yoshiura, para entender os motivos da decisão do Executivo. “Ouvi o secretário e agora vou solicitar uma reunião com o prefeito [Herzem Gusmão] para entender os motivos dele. O espaço já foi conquistado pela população e é preciso retornar sim. Somos carentes de espaços de lazer em nossa cidade e não podemos acabar com os que já construímos”, falou.

Após a reunião, ficou combinado que um novo encontro acontecerá e que uma reunião com o Executivo será agendada pelo presidente da Câmara para tentar resolver a situação