Em nota enviada a equipe do Blog do Redação, a assessoria do Hospital Geral de Vitória da Conquista repudiou “as
reclamações da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Vitória da Conquista e do Secretário Municipal do
Gabinete Civil, Marcos Ferreira, que tentam eximir o Governo Municipal da responsabilidade de implantar e
gerir o processo de vacinação contra Covid-19 no município, culpabilizando o HGVC e outras Unidades
Hospitalares da cidade”.

 

Segundo a nota, o Secretário Marcos Ferreira que também é radialista, utilizou-se da tribuna para “acusar a
direção do HGVC de estimular desordem na vacinação, transformando em agenda política ações que
deveriam ser de política de saúde pública”.

Na nota é afirmado ainda que  equipe do HGVC conta com mais de 2.200 colaboradores e que  a
quantidade de doses recebidas pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) é insuficiente para atender à
atual demanda de vacinação dos profissionais de saúde, e que requer um eficiente planejamento estratégico
da gestão municipal para priorizar a vacinação dos grupos de maior risco.

“Repudiamos as acusações dos Secretários Municipais de Vitória da Conquista, sendo que o
HGVC foi o hospital que proporcionalmente menos vacinou sua equipe, apesar da importância que vem
assumindo perante toda a pandemia”. Ressalta a nota.

E por último, a nota ressalta:

“A Direção do HGVC vem conversando com sua equipe de forma a atenuar o grande sentimento
de frustração e indignação que se instaurou no corpo de funcionários da unidade, posto que a maior parte
destes não serão contemplados nesta etapa da vacinação, e sequer conhecem o calendário das próximas
etapas. Aproveitamos o ensejo para levantar o questionamento em relação ao fato de que em unidades da
rede privada, funcionários, independente de serem ou não linha de frente tiveram acesso à vacinação”.

LEIA NA ÍNTEGRA:

21_01 NOTA DE REPÚDIO.docx – Documentos Google