Leia a nota na íntegra:

O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), neste momento em que atravessamos o Segundo Turno eleitoral, vem a público manifestar total repúdio às fake ews que vêm sendo disseminadas por um grupo político vinculado à candidatura de Herzem Gusmão, inclusive sendo estas disseminadas por agentes públicos comissionados em seu governo. O PSOL manifesta total e incondicional apoio, solidariedade e disposição a fazer frente a todos os ataques que vêm sofrendo diversas pessoas da militância social e política da cidade de Vitória da Conquista por partidários de uma forma de fazer política baseada na disseminação de Fake News, na difamação, no atentado à moral, na perseguição e outras formas de intimidação e ameaças. Àqueles que não suportam e não sabem disputar democraticamente o poder, resta a força da lei e os instrumentos legais cabíveis, e estes serão utilizados por nosso partido. O “gabinete do ódio” em sua versão “suíça baiana” não terá sossego, e a cada fake news disseminada muitas ações e responsabilizações serão buscadas até compreenderem que não vivemos em um Estado paralelo de barbárie, mas vivemos, prezamos e trabalhamos para a conservação e aprimoramento do Estado de Direito, democrático, livre e diverso.

Conforme o dia de votação do segundo turno das eleições municipais se aproximam, aumenta o desespero dos que estão acostumados ao poder local e aos seus desmandos, a divulgação de fake news cresce consequentemente, e esta é uma tática conhecida dos que se beneficiam e se promovem por meio da mentira, da calúnia e da difamação de seus opositores. Não nos calaremos, estaremos sempre prontos a combatê-las e não pouparemos esforços para responsabilizar seus autores e reestabelecer a verdade. Essas pessoas que não trazem consigo qualquer limite ou valor ético terão pelas vias legais a resposta e os limites que precisam.

Por fim, o PSOL reafirma sua solidariedade e apoio a Omar Costa Ribeiro, a Mariana Aragão, a Alexandre Xandó, a Professora Aliny Souza, ao Professor Cláudio Carvalho e a todos(as) demais que tenham ou estejam sendo vítimas do “gabinete do ódio” em sua versão “suíça baiana”. Defendemos e seguimos firmes em nossa posição a favor do Estado de Direito, crendo que a justiça existe para ser acionada e utilizada quando necessário.