Aconteceu no final da tarde desta quinta-feira (15), na casa memorial Régis Pacheco no centro de Vitória da Conquista uma coletiva de imprensa com a participação da secretária municipal de saúde Ramona Cerqueira, do diretor do Comitê Gestor de Crise, kairan Rocha e do bioestatístico Stenio Duarte.

Durante o evento, Kairan Rocha justificou o posicionamento contrário da prefeitura municipal em relação ao decreto estadual do ‘toque de recolher’. Segundo ele, foi percebido um aumento significativo no número de casos de Covid-19 nos conquistenses durante o período em que o ‘toque de recolher’ das 18h às 20h esteve em vigor.

De acordo com Kairan, este é o principal motivo para que a prefeitura implantasse o decreto municipal com o escalonamento das atividades até às 22horas.

“Estamos buscando entender o avanço da pandemia em nosso município. Percebemos um aumento significativo no fluxo de pessoas nos transportes coletivos devido ao encerramento das atividades às 18h. Entendemos, portanto, que essa medida não foi eficaz aqui em Vitória da Conquista. A intenção não é enfrentar o governo do estado; nós estamos abertos ao diálogo e o que desejamos é salvar vidas”. Discorreu Kairan.

O bioestatístico Stenio Duarte demonstrou através de gráficos o índice de infestação da Covid-19 em Vitória da Conquista durante a primeira e segunda onda da doença no município. De acordo com ele, no mês de março houve um aumento acentuado na curva de contaminação, justamente no período da medida restritiva de locomoção.

“Houve uma piora em mais de 17,35% no índice de contaminação e o número de casos confirmados subiu 16%. Isso indica, segundo os dados levantados, que a solução mais eficaz será o escalonamento de horários e a flexibilização no fechamento dos estabelecimentos comerciais, assim como foi decretado”. Destacou o bioestatístico.

 

O decreto municipal foi oficializado na última segunda-feira (12), e determina a abertura de bares e restaurantes até 22 horas em Vitória da Conquista. Clique aqui e veja a medida na íntegra.