Brunno Carvalho, Diego Salgado e Pedro Ivo Almeida
Do UOL, em São Paulo e no Rio de Janeiro

Sérgio Noronha teve até o fim de sua vida a companhia de Arnaldo Cezar Coelho. Poucos meses antes da morte do ex-comentarista, vítima de uma parada cardíaca ontem (24), o ex-árbitro organizou dois almoços para o amigo no Clube dos Marimbás, no bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro. Participaram amigos feitos na época do jornalismo esportivo e as ex-esposas de Noronha.

“A gente tentava sempre manter o Sérgio bem, ativo. No fim do ano passado, fiz dois grandes almoços no Clube dos Marimbás. Um com amigos próximos, jornalistas da época dele, e outro com ex-namorada e esposas. Foi muito bacana. Quase uma despedida. Pena”, relembrou Arnaldo.

O corpo de Noronha será velado amanhã, a partir das 9h, na Capela 3 da Real Grandeza. O enterro está marcado para as 14h. Arnaldo foi o responsável por levar Sérgio Noronha para o Retiro dos Artistas em 2018. Sem família próxima, o ex-comentarista sofria de Mal de Alzheimer e graves problemas financeiros. “O Sérgio tinha um anjo da guarda que era o Arnaldo. Ele era um daqueles amigos que a gente não vê mais hoje, estava sempre junto do Sérgio”, relembra o ator Stepan Nercessian, que preside o Retiro dos Artistas.

Sérgio Noronha ficou dez dias internado em um hospital na zona sul do Rio de Janeiro antes de morrer. Para tentar animá-lo, amigos gravaram vídeos que foram entregues ao ex-comentarista.

“Uma passagem legal é que o pessoal do esporte gravou vários vídeos e mandou para ele lá no hospital. O Junior (ex-lateral do Flamengo), o Arnaldo (Cezar Coelho)… E ele ficou muito feliz ouvindo essas mensagens”, conta Nercessian.

O último momento da relação de Noronha com a empresa foi em 2011, quando comentou partidas através do canal Premiere, no sistema pay-per-view. Depois, o veterano acabou preterido por profissionais mais jovens. Em julho do ano passado, Noronha concedeu uma entrevista ao UOL Esporte em que relembrou sua história na TV e falou sobre a vida no Retiro dos Artistas.

Alta era iminente

Segundo Cida Cabral, que trabalha no Retiro dos Artistas, a expectativa é que Noronha tivesse alta nos próximos dias, depois de dez dias de internação e a saída do CTI.

“Ontem [quinta-feira] ficamos felizes, porque ele tinha saído do CTI. Os enfermeiros disseram que ele estava bem, até pediram coisas pessoais, sabonete líquido. Estávamos felizes porque ele estava na iminência de ter alta. Mas a enfermeira ligou para avisar sobre a parada cardíaca. Estamos todos abalados, mas com a certeza que fizemos tudo por ele”, disse Cida.

No último dia 28, Noronha completou 87 anos e ganhou um bolo dos amigos que vivem no Retiro e também dos funcionários. Dias antes, no Natal, aconteceu outra confraternização no local. Isso, de acordo com Cida, ajudava o ex-comentarista.

“Ele estava superfeliz lá [no Retiro]. Ele sempre foi muito falante, falava várias línguas, mesmo com todos os problemas. Falava inglês, passeava pela piscina. Tinha dias quietos, mas quase sempre falava. Mas tinha poucos momentos de lucidez. Às vezes via futebol e comentava do jeito dele”, lembrou.