Por Mário Bittencourt – Correio

O estudante de Odontologia e motorista por aplicativo Hiago Evangelista Freitas, 24 anos, foi assassinado, segundo a polícia, porque “assediou” a namorada de um traficante de drogas que está preso no Conjunto Penal de Vitória da Conquista, no sudoeste do estado.

Inicialmente, durante a audiência de custódia, os suspeitos do assassinato, que estão presos desde o último sábado (9), disseram que o crime teve como motivação uma suposta dívida de R$ 2,5 mil que o estudante teria com o tráfico. Rodrigo Porto Oliveira Silva, 22, o Playboy, e Alexandre Cruz Brito, 21, o Parcker ou Xande, confessaram o crime.

Responsável pelo caso, o delegado Marcus Vinícius de Morais, titular da DHPP, informou que investigações posteriores comprovaram que “a versão apresentada inicialmente é mentirosa”.

“Verificamos que Hiago foi morto porque deu em cima da namorada de um traficante de drogas que está preso no Conjunto Penal de Vitória da Conquista. Ele tentou se relacionar com ela durante as corridas para o presídio, quando a moça ia visitar o namorado”, disse o delegado.

Marcus Vinícius de Morais não soube informar se a vítima levou a namorada do traficante uma ou mais vezes ao presídio, “fato é que ela contou para o namorado que estava sendo assediada e o traficante mandou matar Hiago”.

O delegado preferiu não informar o nome do traficante, apesar de dizer que o mesmo já foi identificado. Mas disse que o responsável por intermediar a negociação para a realização do crime é outro traficante identificado como Micael Souza Queiroz, 22.

Segundo a polícia, Micael e Rodrigo fazem parte da facção criminosa.

Micael já foi indiciado por homicídio e tráfico de drogas, contudo ainda não teve prisão preventiva decretada pela Justiça, apesar disso já ter sido solicitado pela Polícia Civil. Ele ainda não deu depoimento sobre a morte de Hiago e não é considerado foragido.

Hiago morreu após receber uma quantidade não divulgada de facadas e ter seu corpo queimado quando ainda estava vivo. O carro dele, um Onix preto, foi encontrado estacionado no distrito de São Sebastião, a 15 km de Conquista.

Antes, deve ouvir o traficante que, supostamente, mandou matar Hiago. A namorada dele, não identificada pela polícia, também não foi ouvida ainda.

A polícia não revelou como chegou a essa informação de que foi o traficante que mandou matar o estudante de Odontologia por causa do suposto assédio – se os autores do crime mudaram os depoimentos ou se havia alguma mensagem no celular dos envolvidos. “São elementos da nossa investigação”, afirmou Marcus Vinícius.

O CORREIO não conseguiu contato com a defesa de Rodrigo e Alexandre para comentar o assunto. Micael não foi localizado.