Os dois acusados de assassinarem o motorista de aplicativo e estudante de Odontologia Hiago Evangelista Freitas, de 24 anos, em 2019, foram condenados pelo Tribunal do Júri, nesta terça (09), no Fórum João Mangabeira, em Vitória da Conquista.

Ambos os réus foram condenados, nos termos da denúncia. Alexandre foi condenado a 22 anos e 8 meses, e Rodrigo, 26 anos de reclusão e mais um ano de detenção.

O Júri foi encerrado às 03 horas desta quarta-feira, com o promotor José Junseira atuando na acusação dos réus.

VEJA AS PENAS EXATAS:

RODRIGO PORTO OLIVEIRA – 26 (vinte e seis) anos e 02 (dois) meses de reclusão, 01 (um) ano e 02 (dois) meses de detenção e 46 (quarenta e seis) dias-multa.

ALEXANDRE CRUZ DE BRITO – em 22 (vinte e dois) anos e 08 (oito) meses de reclusão e 24 (vinte e quatro) dias-multa.

 

 

 

 

 

 

 

(HIAGO / vítima)
Os réus, Rodrigo Porto Oliveira Silva, 27 anos, conhecido como Playboy, e Alexandre Cruz Brito, 26 anos, conhecido como Parcker ou Xande, sao acusados de matar Hiago para roubar o carro. O jovem foi baleado e teve o corpo incendiado ainda vivo. Na sequência, os dois deixaram o local com o carro e pertences da vítima.

De acordo com as investigações, Rodrigo e Alexandre confessaram ter assassinado Hiago a mando de um presidiário que queria vingança, acreditando que Hiago estava se relacionando com sua companheira. Tanto Micael quanto Rodrigo são membros da facção criminosa TD3, que atua na zona leste de Conquista e tem ligações com o Bonde do Maluco (BDM), comandada pelo traficante José Francisco Lumes, o Zé de Lessa, atualmente foragido no Paraguai. Matéria: Sudoeste Digital.