Em contato com o Blog do Redação, o vereador Valdemir Dias (PT) criticou a decisão da prefeitura de Vitória da Conquista de lançar a modalidade de Ensino à Distância (EaD) para os alunos da rede municipal, durante a suspensão das aulas presencias (medida para contenção do Novo Coronavírus). Segundo o vereador, a grande maioria dos alunos da rede pública não têm recursos tecnológicos para estudar à distância. O edil promete levar a discussão à Câmara Municipal, e parabenizou o Sindicato dos Profissionais da Educação por ter pautado o debate.

Valdemir Dias já foi secretário de municipal de educação e conhece bem realidade dos alunos. “Nem todos tem computador e acesso à internet de qualidade”, pontuou. “Na rede pública de educação há famílias em situação de muita pobreza, casos em que a única refeição que a criança faz é na escola. Achar que todas as famílias têm um computador, internet em casa é desconhecer completamente a realidade do nosso município, do Nordeste, do Brasil”, frisou. Outro problema apontado foi o acompanhamento para crianças das séries iniciais. “Os pais de grande parte dessas crianças não tem domínio tecnológico para poder assessorar seus filhos durante aulas EaD”, disse ao Blog.

O vereador criticou também o fato da prefeitura não ter consultado todos os membros do Conselho Municipal de Educação (CME) para tomar tal decisão. “A prefeitura não consultou o Conselho, mostrando mais uma vez o autoritarismo desse Governo”, disse. “Os professores também não foram escutados. Eles precisariam adaptar as aulas presenciais para EaD. A prefeitura vai dar o suporte tecnológico pra isso? “, indagou.

Enquanto membro da Comissão de Fiscalização dos Atos do Executivo, Valdemir garantiu que levará a discussão à Câmara Municipal. “Estarei propondo a criação de uma Comissão Mista com a participação da Comissão que faço parte e a Comissão de Educação. O prefeito não pode continuar tomando decisões sem escutar ninguém”, disparou.

Na oportunidade, o vereador parabenizou o SIMMP por pautar essa discussão das aulas EaD e defender uma educação de qualidade. “O SIMMP demonstrou mais uma vez que não foge à luta quando o assunto é defender a educação pública. Pautou o debate sobre a modalidade EaD e denunciou o autoritarismo da prefeitura ao tomar decisões sem consultar os professores e o Conselho Municipal de Educação, que tem com função normatizar, deliberar e fiscalizar a educação do nosso município” finalizou.